Comentários recentes

Votação

Em que estado comprou a sua moto?
Novo
37%
Semi-novo
27%
Usado
32%
Vintage
4%
Votos totais: 285

Newsletter

Mantenha-se informado sobre as nossas novidades.

Beber e conduzir uma moto

A condução de uma moto sob o efeito do álcool revela uma atitude de extrema irresponsabilidade, uma vez que é a causa direta ou indireta de inúmeros acidentes mortais de viação. Saiba que beber e conduzir uma moto são duas ações que não combinam e, como tal, deve proteger e estimar a sua vida.

Beber vs. Conduzir uma moto

Todas as pessoas têm conhecimento que não devem conduzir qualquer tipo de veículo motorizado sob a influência do álcool, mesmo que o seu consumo seja em pequenas quantidades, uma vez que isso poderá ser fatal. No entanto, apesar de existirem inúmeras campanhas de sensibilização que mostram que o álcool e a condução não se misturam, algumas mensagens e grupos culturais incentivam a fazer precisamente o contrário. 

É o caso dos grupos de motociclistas que aceitam de forma conivente que os seus membros conduzam embriagados, assim como os riders solitários que se deslocam em cima de uma moto para locais onde, habitualmente, ingerem bebidas alcoólicas, como bares, discotecas ou festivais. Este tipo de atitude é visto por muitos riders como um desafio à resistência de um motociclista e, à conta disso, colocam em causa o andar de moto em segurança

O consumo de álcool aumenta o risco da ocorrência de acidentes, tanto para os moto riders como para todos os utentes das vias públicas. É necessário acabar, de uma vez por todas, com estes comportamentos irresponsáveis, dado que cerca de 46% dos motociclistas que morrem em acidentes de viação apresentam álcool no sangue no momento da sua morte.

O que dizem as estatísticas

As estatísticas são sempre um indicador muito importante para a verificação e medição de resultados. Na relação estatística estabelecida entre a ingestão de bebidas alcoólicas e a condução de um veículo de duas rodas, evidenciam-se os pontos seguintes:

  • Os acidentes fatais que envolvem motociclistas indicam que estes têm o dobro das probabilidades de terem consumido álcool quando comparados com os automobilistas de veículos de passageiros.
  • Nos últimos anos, o número de acidentes fatais com motociclistas alcoolizados aumentou cerca de 10% e este é um número com tendência a manter-se elevado.
  • Dos motociclistas e automobilistas que morreram de acidente de viação com álcool no sangue, cerca de 83% são do sexo masculino.
  • A condução recreativa e o consumo de estupefacientes são muitas vezes misturados com as bebidas alcoólicas e esta combinação poderá ser explosiva e suficiente para causar/sofrer um acidente de viação.
  • Beber e conduzir são práticas comuns dos automobilistas e motociclistas e a maioria dos condutores (cerca de 87%) que foi apanhada por alguma operação STOP admite que já tinha conduzido num estado alcoolizado.
  • As piores alturas para encontrar pessoas alcoolizadas na estrada (moto riders e automobilistas) são: durante as noites e aos fins de semana. É nestes períodos que ocorrem a maioria dos acidentes de viação.

A taxa limite de alcoolemia permitida

A alcoolemia diz respeito à presença de álcool no sangue e exprime-se por gramas de álcool puro num litro de sangue. A taxa limite de alcoolemia permitida na lei é de 0,50 gramas por litro de sangue e muitas pessoas consideram que deveria ser de 0 (zero), pois uma pequena quantidade de álcool pode duplicar ou triplicar as hipóteses de um condutor sofrer um acidente ou fatalidade.

Independentemente do tipo de moto que tenha, é aconselhável que não conduza um veículo de duas rodas sob o efeito do álcool pois a estrada, por si só, já apresenta muitos perigos e os moto riders devem estar na posse de todas as suas faculdades para os enfrentar e ultrapassar.

Tenha em consideração que o processo de eliminação do álcool também é muito lento. Por exemplo, um indivíduo que tenha atingido uma taxa de álcool no sangue (TAS) de 2,00g/l à meia noite, precisa de aguardar cerca de 20 horas para que o seu organismo consiga eliminar completamente o álcool que estava no sangue. No entanto, se for submetido a um novo teste de alcoolemia às 12 horas do dia seguinte, a taxa de álcool ainda se encontrará muito alta, nomeadamente nos 0,80g/l.

As taxas de álcool no sangue

A ingestão de bebidas alcoólicas faz com que uma pessoa apresente um determinado número de gramas por litro de sangue. Contudo, a TAS não depende apenas da quantidade das bebidas alcoólicas ingeridas, mas também do seu maior ou menor grau alcoólico, assim como se a bebida é gaseificada ou aquecida. Dos valores resultantes de um teste de alcoolemia, destacam-se os seguintes:

  • Quando a taxa de álcool no sangue se situa entre os 0,1 e os 0,4, a capacidade de discernimento dos condutores é muito afetada e eles ficam mais indecisos e inseguros nas decisões a tomar. O álcool faz com que as pessoas fiquem mais desinibidas, mas também provoca a deterioração de funções indispensáveis à segurança na estrada, como a visão, audição e reflexos.
  • Quando os valores de álcool no sangue estão entre os 0,5 e os 0,7, a capacidade de raciocínio diminui drasticamente, assim como a capacidade de realizar manobras mais complexas.
  • Quando os valores de álcool no sangue excedem os 0,8 g/l, os condutores deixam de pensar corretamente e têm muitas dificuldades em realizar as tarefas mais simples como, por exemplo, colocar o capacete para andar de moto.

Uma realidade assustadora

Alguns moto riders continuam a pensar que conseguem lidar facilmente com o álcool e que não existe nenhum problema em beber e conduzir uma moto ao mesmo tempo. É o caso de alguns motociclistas que andam em bares, festivais e concertos de rua.

Alguns sport riders, especialmente os mais jovens, também pensam que dominam o asfalto depois de ingerirem algumas bebidas alcoólicas, pois o álcool provoca-lhes uma sensação de falsa confiança. Este é um dos comportamentos mais perigosos que se pode ter na estrada, pois daí surgem vários acidentes.

Muitos motociclistas chegam a afirmar que consumir bebidas alcoólicas e andar de moto na estrada é uma situação normal e recorrente e só demonstram preocupação em relação ao álcool em apenas duas situações: quando estão totalmente alcoolizados e se preocupam com a sua segurança ou quando estão parcialmente alcoolizados e se preocupam em não ser apanhados pela polícia.

O ato de ingerir bebidas alcoólicas e conduzir uma moto não é um problema exclusivo dos grupos de motards, ou das pessoas que andam de moto em grupo, pois, atualmente, muitos estão a lutar para mudar algumas mentalidades, mas isso só depende da consciência e da vontade de estar em segurança de cada um.