Comentários recentes

Votação

Em que estado comprou a sua moto?
Novo
37%
Semi-novo
27%
Usado
32%
Vintage
4%
Votos totais: 285

Newsletter

Mantenha-se informado sobre as nossas novidades.

História da Harley Davidson

A Harley Davidson é uma das marcas de motos mais conceituadas e referenciadas em todo o mundo. Conheça a história da Harley Davidson e saiba o porquê desta marca ser um símbolo de uma nação e motivo de orgulho de todos os motards.

A origem da Harley Davidson

A Harley Davidson é uma empresa de motos norte-americana que foi fundada na cidade de Milwaukee, estado de Wisconsin, no início do século XX, nomeadamente no ano de 1903. O seu aparecimento deve-se à ação de dois jovens, William S. Harley e Arthur Davidson, que resolveram instalar um motor num quadro de uma bicicleta, com o intuito de se deslocarem de uma forma mais rápida e confortável nas subidas e competições. Este feito foi um tremendo sucesso na época e isso permitiu lançar as bases de uma das empresas de motos que viria a ser uma das mais conhecidas em todo o mundo, a Harley Davidson.

O nascimento de uma lenda

Os fundadores da Harley Davidson, William S. Harley e Arthur Davidson, começaram por construir um veículo de duas rodas que era alimentado por um motor de um cilindro de combustão a gasolina. Tratava-se de um motor único, com 410 cm3 que desenvolvia três cavalos de potência. Estava equipado com uma válvula de admissão automática e tinha um sistema de transmissão de correia. Esta foi a primeira moto construída pela Harley Davidson e ficou conhecida como a lendária Silent Gray Fellow.

O crescimento da Harley Davidson no início do século XX

No ano de 1907, juntaram-se os primos William e Walter Davidson à empresa e a marca começou a ficar cada vez mais conhecida, aumentando a sua produção para mais de cem motos por ano. Nesse mesmo ano, a fim de fazer uma demonstração da qualidade das motos fabricadas, Walter Davidson participa e vence uma famosa corrida de resistência. Além da vitória, conseguiu estabelecer um novo recorde ao percorrer uma distância de 300 quilómetros com menos de cinco litros de combustível e isso foi suficiente para a polícia americana começar a equipar a sua frota com motos Harley Davidson. Em 1909, Bill Harley construiu o primeiro motor V-Twin com sete cavalos de potência e foi nesta altura que nasceu o “famoso” ângulo de 45 graus, um dos símbolos principais da marca.

A Harley Davidson durante a I e II Guerra Mundial

A Harley Davidson teve um papel preponderante no auxílio das tropas americanas durante a I e a II Guerra Mundial.

A primeira Guerra Mundial

No apogeu da I Guerra Mundial (1917), um terço de todas as Harleys Davidsons foram enviadas para o exterior com o intuito de ajudar os soldados em combate e a minimizar os seus esforços de guerra. No ano seguinte, cerca de metade das motos produzidas foram vendidas ao exército dos Estados Unidos da América (EUA), com o intuito de reforçar a sua armada. No final da guerra, foram utilizadas cerca de 20.000 motos, sendo que a maioria delas foram Harley Davidson. Este foi o período que consagrou a Harley Davidson como a maior fábrica de motos em todo o mundo, com cerca de 2.000 concessionários em mais de 67 países diferentes.

A segunda Guerra Mundial

Durante a II Guerra Mundial, a Harley Davidson continuou a atender ao chamado dever patriótico e enviou os seus modelos para o exterior para ajudar nos esforços de guerra. Nesse sentido, construiu mais de 80 mil motos de 750 cm3 nas versões WLA, WLC, WSR, com e sem carro lateral. Durante este período, a quase totalidade das motos produzidas pela Harley Davidson foram máquinas militares.

O símbolo do sonho americano

Depois da II Guerra Mundial, as motos Harley Davidson passaram a ser utilizadas em massa e isso foi suficiente para serem consideradas um símbolo do sonho americano. Nesse sentido, a compra de uma moto Harley Davidson garantia uma igualdade de oportunidades entre todos e representava o esforço e a determinação de cada um em atingir os seus objetivos de vida. A introdução do modelo Sportster (1957), um dos maiores sucessos da marca, também desempenhou um papel fundamental na aproximação, união e fraternidade de todos os motards e essa sempre foi a imagem de qualidade da marca.

A entrada em bolsa

No ano de 1965, assistiu-se ao início de uma nova fase na história da Harley Davidson: a entrada em bolsa. A empresa American Machine Foundry (AMF), um fabricante norte-americano de produtos de lazer, adquiriu a maioria das ações da Harley e, em pouco tempo, o logótipo da AMF começou a aparecer nos tanques de todas as Harleys.
Com esta fusão de interesses, a produção das Harley Davidson passou de 15.000 para 75.000 unidades por ano, contudo, a qualidade das motos e dos materiais utilizados diminuiu consideravelmente.

A partir da década de 70

A partir da década de 70, assistiu-se a uma série de mudanças que permitiram à Harley Davidson desenvolver novos modelos, mais rápidos e completos, que vieram revolucionar o mercado motociclístico mundial. São disso exemplo, o lançamento da Cruiser, Low Rider, Electra Glide Sport, Softail, a Dyna e a Fat Boy, entre outras. Estas alterações permitiram que a marca americana se tornasse mais competitiva nas pistas e no asfalto e isso permitiu reforçar a sua posição no mercado face às investidas e desenvolvimento das marcas japonesas.

Os anos 80

Na década de 80, treze executivos seniores da empresa assinaram uma carta de intenção para comprar as ações da Harley Davidson que pertenciam à AMF e, em junho desse mesmo ano, a compra foi concretizada. A partir daqui a marca adotou a frase “The eagle soars alone” (A águia voa sozinha) e seguiu o seu próprio caminho. Em 1983, deu-se o aparecimento do Grupo de Donos da Harley (Harley Owners Group – HOG), uma instituição que patrocinava corridas, organizava eventos e mantinha todos os motards em contacto. Em 1984, na primeira corrida organizada pelo HOG estiveram presentes 28 motards; hoje existem mais de 750 mil membros.

As Harley Davidson nos dias de hoje

Atualmente, a Harley Davidson é uma das marcas de motos de referência no motociclismo mundial, pois a sua condução é única e incomparável em relação às demais. A marca americana está presente em todos os continentes e produz cerca de 280 mil motos por ano. Também se destaca a diversidade da sua oferta, que oferece mais de 28 modelos diferentes para todos os gostos nos mais de 1300 postos de vendas espalhados em todo o mundo. A marca também comercializa roupas e acessórios e distingue-se, principalmente, pela venda de atitude e estilo de um motard e esse é o verdadeiro espírito da Harley Davidson.