Comentários recentes

Votação

Em que estado comprou a sua moto?
Novo
37%
Semi-novo
27%
Usado
33%
Vintage
3%
Votos totais: 258

Newsletter

Mantenha-se informado sobre as nossas novidades.

A história da moto Ducati

A Ducati é uma marca italiana conhecida em todo o mundo, graças ao estilo, excelência de produção e desempenho no asfalto das suas motos. Saiba um pouco da história da moto Ducati e conheça alguns dos exemplares que mais se têm vindo a destacar ao longo dos anos.

Como nasceu a Ducati

A Ducati teve origem em 1926 na cidade de Borgo Panigale em Bolonha, quando a família Ducati (os irmãos Bruno, Adriano e Marcello) se associou a um grupo de investidores bolonheses, fundando a Società Radio Brevetti Ducati. O objetivo principal desta empresa passava pela produção de componentes para as transmissões de rádio, baseando-se nas patentes de Adriano Ducati. O primeiro produto a ser fabricado pela empresa foi o condensador de Manens para rádio e, a partir daí, sucederam-se outros produtos de enorme sucesso mundial, o que fez com que a empresa crescesse e ganhasse o respeito da comunidade industrial internacional.

A empresa chegou a empregar mais de 11.000 trabalhadores e tinha vários escritórios e filiais em cidades importantes como Londres, Paris, Nova Iorque, Sidney e Caracas, garantindo assim um serviço cuidado e assistência personalizada aos seus clientes nos principais mercados mundiais.
Contudo, a Segunda Guerra Mundial constituiu um rude golpe às aspirações e desenvolvimento da empresa e a fábrica de Borgo Panigale foi completamente destruída por vários bombardeamentos ocorridos no ano de 1944.

Porém, nos anos seguintes, e com o intuito de escapar à conjuntura negativa que afetava o país, os irmãos Ducati lançaram no mercado uma série de produtos inovadores que relançaram a marca para um patamar de excelência mundial.

O Cucciolo da Ducati – 1946

Cucciolo da Ducati – 1946

Em 1946, na Feira de Milão, os irmãos Ducati lançaram o Cucciolo, um motor de pequenas dimensões que podia ser instalado numa bicicleta. Em pouco tempo, o Cucciolo adquiriu um quadro próprio, tornando-se assim numa moto em miniatura e isso representou um sucesso gigantesco para a marca. Em 1950, produziram-se mais de 200.000 unidades e foram todas vendidas a um ritmo impressionante. Graças ao êxito do Cucciolo, a Ducati afirmou-se como uma marca registada no setor mecânico e a partir desse momento passou a fazer parte do motociclismo mundial.

A Cruiser da Ducati – 1952

 

A Cruiser da Ducati foi a primeira moto da marca italiana a ser comercializada em todo o mundo. Foi lançada no ano de 1952 e apresentava um motor com uma potência de 175 cm3, com partida elétrica e transmissão automática. Tratou-se de um produto inovador na sua época e apresentava um design sofisticado e uma aparência muito elegante. A Cruiser significou a entrada da Ducati no segmento Scooter e a sua comercialização foi um verdadeiro sucesso de vendas. No ano seguinte, e para garantir uma presença mais eficaz no mercado motociclístico, a Ducati foi dividida em duas áreas distintas: Ducati Elettronica S.p.A. (produtos eletrónicos) e Ducati Meccanica S.p.A. (fabricante de motos).

A Ducati Mach 250 – 1964

Ducati Mach 250 – 1964

A Mach 250 é um modelo de referência na história da Ducati e o seu aparecimento está diretamente relacionado com a entrada do engenheiro Fabio Taglioni na empresa italiana. Em 1964, o seu estilo avant-garde e não conformista permitiu a criação e desenvolvimento de uma moto de aventura original que era capaz de atingir velocidades superiores a 150 km/h (um desempenho realmente excecional para a época) e isso foi suficiente para conquistar os riders mais exigentes. Na década de 60, a Ducati tornou-se conhecida pela criação dos seus modelos monocilíndricos que eram verdadeiras máquinas de corrida.

A Supersport 750 – 1972

Supersport 750 – 1972

O lançamento da Supersport 750 da Ducati ocorreu no ano de 1972 e tinha como objetivo principal posicionar a marca no segmento das motos de competição. Foi também uma forma dos responsáveis da Ducati darem uma resposta eficaz e imediata aos modelos que haviam sido lançados pela concorrência, nomeadamente pela Honda.
O sucesso deste modelo estabeleceu definitivamente a marca italiana como sinónimo de beleza, resistência e velocidade. O modelo Supersport 750 fez a marca italiana regressar às corridas e a vitória conseguida na competição de Imola, pelo piloto Paul Smart, deu à marca a projeção internacional necessária para a distinguir das demais.

A Ducati 851 – 1983

Ducati 851 – 1983

Nos anos 80, nomeadamente em 1983, a Ducati foi adquirida por Cláudio e Gianfranco Castiglioni e tornou-se parte do Grupo Cagiva. A Ducati ficou assim nas mãos de dois apreciadores de corridas de competição e o modelo 851 é reflexo de uma nova gestão e aposta na secção das superbikes. A sua produção começou no ano de 1988 e foi construída pelo engenheiro Massimo Bordi. Tratou-se de uma moto desportiva competitiva com 851 CC, com refrigeração liquida e um sistema de injeção combustível eletrónico. Este modelo foi um dos mais apreciados por todos os admiradores das grandes velocidades e serviu de charneira entre a empresa e as corridas de competição.

A Ducati Monster – 1993

Ducati Monster – 1993

A Ducati Monster é um tipo de moto desportiva do estilo “streetfighter” que foi desenvolvida em 1993 por Miguel Angel Galluzzi. Trata-se de uma moto “Naked”, uma vez que a sua produção foi desprovida de qualquer tipo de carenagens e rapidamente se tornou um ícone no panorama motociclístico mundial. Na gama Monster, foram produzidos vários modelos e os de maior sucesso foram o Monster 900, Monster S2, Monster S2R e o Monster S4R S.

A Ducati Multistrada – 2003

Ducati Multistrada – 2003

No início do novo milénio, a Ducati presenteou todos os seus admiradores com o lançamento de um dos modelos desportivos mais apreciados e aclamados de todos os tempos, a Multistrada. Este modelo trouxe um novo conceito de moto, adaptável ao condutor e à utilização que este lhe pretendia dar. Trata-se de uma moto “4 em 1” que pode ter uma utilização citadina, desportiva, endurista ou turística, bastando para isso que o motociclista pressione um simples botão no quadro de instrumentos. É uma moto camaleão que se destaca pelo seu design futurista, pela sua agilidade e leveza, sendo uma das motos de referência de toda a comunidade motociclística mundial.

A Ducati Streetfighter – 2008

Ducati Streetfighter – 2008

A Ducati Streetfighter é uma superbike que nasceu da personalização das motos superdesportivas. Trata-se de uma moto “Naked” que é considerada um verdadeiro puro-sangue no que à competição de duas rodas diz respeito. Apresenta uma potência de motor de 1099 CC, distribuídos num motor de 2 cilindros em V, com 155 cv de potência máxima. Esta moto foi lançada no ano de 2008 e, aquando da sua produção, os responsáveis da marca italiana comprometeram-se a desenvolver a melhor e a mais leve streetfighter do mercado motociclístico. A prova disso mesmo são os 167 kg que a Ducati Streetfighter apresenta e o facto de ser uma das motos preferidas pela maioria dos riders mais aventureiros e radicais.