Comentários recentes

Votação

Em que estado comprou a sua moto?

Newsletter

Mantenha-se informado sobre as nossas novidades.

O sistema de transmissão de uma moto

Um motor de uma moto pode criar uma quantidade enorme de energia e esta deve ser entregue às rodas do veículo de uma forma controlada. Com esse propósito, surge o sistema de transmissão: conheça-o.

O sistema de transmissão de uma moto é o elemento responsável pelo fornecimento de energia para a roda traseira e, consequentemente, circulação do veículo. Ele fá-lo através de três estruturas específicas:

1. O jogo de engrenagens

O jogo de engrenagens permite a deslocação de uma determinada moto a uma velocidade de cruzeiro. Independentemente do tipo de moto, as transmissões têm, normalmente, entre quatro a seis marchas, embora as motos pequenas possam ter apenas duas. As marchas são engatadas quando se desloca uma alavanca que move os garfos de mudança dentro do próprio sistema de transmissão.

2. A embraiagem

O trabalho da embraiagem consiste no engatar e desengatar as mudanças no motor. Sem a embraiagem não haveria maneira de conectar as mudanças e isso impediria a circulação de uma moto. Quando o motociclista quer trocar uma marcha, ele deve utilizar sempre a embraiagem para desconectar o motor da mudança que está em uso e esse procedimento permite-lhe introduzir a mudança pretendida. A embraiagem é assim uma série de placas de mola que, quando pressionadas em conjunto, permitem a introdução da mudança mais adequada de acordo com a velocidade a que a moto transita.

3. O sistema de movimentação

Existem três maneiras básicas de transmitir a potência do motor para a roda traseira de uma moto:

O sistema de correntes

Estes são os sistemas de movimentação mais comuns. Neste sistema, um pinhão montado no eixo da transmissão é conectado a uma roda dentada que se encontra ligada à roda traseira da moto por uma corrente de metal. Quando a transmissão gira o pinhão, a potência é transmitida ao longo da corrente, o que faz girar a roda traseira. Este tipo de sistema precisa de ser lubrificado e ajustado, pois a corrente estica e o pinhão exige uma revisão e substituição periódica.

O sistema de correias

As correias são uma alternativa credível para as correntes de movimentação. As primeiras motos utilizavam correias de couro que poderiam ser pressionadas para dar tração. No entanto, patinavam com frequência no Inverno e, por isso, deixaram de ser produzidas em favor de outro tipo de material. A partir dos anos 80, as correias passaram a ser feitas de borracha dentada e a sua eficácia é exatamente igual às correntes de metal, com a vantagem de não precisarem de qualquer tipo de lubrificação.

O sistema de eixos

É um sistema muito apreciado porque não requer tanta manutenção como os sistemas de corrente. No entanto, as unidades do eixo são mais pesadas e, às vezes, causam um movimento indesejado na parte traseira da moto. É o chamado eixo de elevação que pode provocar alguma instabilidade e insegurança na condução de uma moto.